sábado, 6 de outubro de 2012

Breakfast at Tiffany's

Postado por Laiz Maia Conti às 05:36
Pois é gente, eu não tinha visto o filme com nossa querida Audrey. Parte da lista das coisas que eu adio. Até que uma amigona minha emprestou, além do fato de que me foi imposto um trabalho para o curso de consultoria. Adivinha que década eu tirei? Cinquenta, isso mesmo. Uma das minhas funções era montar um look atual inspirado na época, mas isso fica pra um outro post, hahaha.
Então, eu curto muito cinema, ainda mais assim, quando nossa queridinha para em frente a vitrine da Tiffany's pra tomar seu café da manhã. Holly vê a joalheria como se fosse um templo. Ela conta a Paul que ela vai lá nos dias em que se sente triste.

Holly é muito envolvida com a alta sociedade nova iorquina, por isso organiza grandes confraternizações no seu minúsculo apartamento. Conhece muitos homens ricos, e se agarra a eles na possibilidade de ser rica também, tornar-se uma atris hollywoodiana e criar seu irmão Fred, que está no exercito, pelo qual tem muito carinho.  Uma acompanhante de luxo, independente, que não se apega a nenhum dos vários homens com quem sai.

Holly casou-se aos 14 anos, com um homem mais velho. Até que decidiu fugir. Ao chegar em Nova Iorque, ela passa a ser bancada por um mafioso, Sally Tomato. Festas, roupas, coquetéis e cigarros fumados em sua longa cigarreira são sua vida. Até que conhece o escritor e novo vizinho, Paul Varjack, que também é bancado por uma amante.
Sua 'profissão' não é explícita no filme, até porque, Holly (a intérprete, Audrey, também) tem feições muito delicadas, é culta.
Uma das minhas cenas preferidas é a que ela aparece na janela da escada de emergência tocando a música 'Moon river', feita especialmente para o filme. Tanto que levou o Oscar de melhor canção, além do de melhor trilha sonora.

Fonte: 
Imagens todas de acervo pessoal

0 comentários:

Postar um comentário

 

Além da minha imaginação Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos